Notícias

Real aciona o MP espanhol após ataques racistas a Vini Jr

O Real Madrid adotou um posicionamento forte após Vinicius Junior ser vítima de insultos racistas pela décima vez desde 2021.
O clube merengue anunciou nas redes sociais que fez uma queixa ao Ministério Público espanhol por ‘delitos de ódio’ cometidos contra Vini Jr durante a partida contra o Valencia.
LEIA TAMBÉM:Vini rebate presidente de La Liga: ‘quem se omite se iguala’‘Nunca vi um estádio inteiro sendo racista’, diz AncelottiEm seguida, o clube divulgou nas redes sociais um vídeo com imagens de uma reunião entre o presidente Florentino Pérez e Vinícius Junior. O encontro, segundo a postagem, foi mais uma demonstração de apoio e carinho ao jogador,  que foi informado sobre todas as providências legais que estão sendo tomadas para defendê-lo. Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Real Madrid C.F. (@realmadrid) No último domingo (21), torcedores do Valencia começaram a gritar ‘Mono’, ‘Macaco’ em espanhol, nos momentos em que o brasileiro esteve perto da lateral. O jogo estava nos 15′ do segundo tempo.
10 minutos após o início dos gritos, o árbitro paralisou a partida depois que os torcedores repetiram o gesto.
O jogo foi interrompido por aproximadamente 5 minutos e foi necessário que o locutor do estádio pedisse para que os torcedores parassem por risco da partida ser encerrada.
Vinicius Junior começou a discutir com os torcedores do Valencia, e Ancelotti chamou o brasileiro no banco de reservas pedindo que ele se acalmasse. O brasileiro foi expulso após a reação.
Leia o comunicado do Real na íntegra
“O Real Madrid CF manifesta a sua mais forte repulsa e condena os acontecimentos ocorridos ontem contra o nosso jogador Vinícius Junior. Esses fatos constituem um ataque direto ao modelo de convivência de nosso Estado social e democrático de direito. O Real Madrid considera que tais ataques também constituem um crime de ódio, razão pela qual apresentou a denúncia correspondente à Procuradoria-Geral do Estado, especificamente à Procuradoria contra crimes de ódio e discriminação, para que os fatos sejam investigados e apuradas as responsabilidades. O artigo 124 da Constituição espanhola estabelece as funções do Ministério Público para promover a ação da justiça em defesa da legalidade e dos direitos dos cidadãos e do interesse público. Por este motivo, e dada a gravidade dos fatos ocorridos, o Real Madrid recorreu à Procuradoria Geral do Estado, sem prejuízo do seu caráter privado no processo que está a ser instaurado.”VEJA MAIS:

Fonte: Diário do Pará 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade