Notícias

Morre mulher que havia levantado durante o próprio funeral no Equador

A mulher equatoriana de 76 anos que despertou durante o próprio funeral faleceu após permanecer internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral Martín Icaza, na cidade de Babahoyo, litoral do Equador.

O Ministério da Saúde Pública do Equador confirmou que Bella Montoya ficou sete dias na UTI em condições críticas, após sofrer um evento cerebrovascular isquêmico. Ela morreu na última na sexta-feira (16).

Durante o período de internação, ela recebeu cuidados médicos abrangentes e avaliação constante por especialistas do hospital. Além disso, foi realizada uma auditoria médica em relação ao caso, conforme informou o ministério em comunicado.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Homem celebra aniversário em cima do próprio túmulo: ‘futura morada’]]

[[(standard.Article) Mulher revela que marido fingiu a própria morte para fugir com amante]]

[[(standard.Article) Homem finge que morreu e organiza velório para saber quem iria ao funeral]]

Gilbert Barberán, filho de Montoya, confirmou à CNN o falecimento de sua mãe e relatou que a família está tomando as providências para registrar o óbito pela segunda vez. Zeneida Leal, outra filha de Montoya, também disse ao veículo que a condição de saúde de sua mãe piorou nos últimos dias depois de ter despertado durante o funeral e sido internada na UTI.

Segundo Leal, o médico informou que sua mãe estava gravemente doente, com insuficiência renal, e que não foi possível salvá-la devido às complicações, até que ela entrou em parada respiratória.

Além disso, Leal explicou que sua mãe sofreu um derrame quando foi internada no hospital na semana anterior, dias antes de ter sido declarada morta.

Contexto do caso: Após ter sido declarada morta, Bella Montoya foi encontrada com sinais vitais em seu caixão durante o funeral. A família, surpresa e assustada, relatou o incidente em um vídeo que viralizou nas redes sociais em 10 de junho. Eles confirmaram que, ao abrir o caixão, perceberam que a mulher ainda estava respirando.

Após a descoberta, eles ligaram para os serviços de emergência, que a transferiram para o Hospital Martín Icaza de Babahoyo para receber tratamento.

O Ministério da Saúde do Equador, em comunicado divulgado em 11 de junho, informou que Montoya foi internada no mesmo hospital com um possível diagnóstico de “acidente vascular cerebral”.

Posteriormente, segundo o comunicado, a idosa de 76 anos sofreu uma “parada cardiorrespiratória” e não respondeu às manobras de reanimação. O médico de plantão confirmou o óbito.

[[(standard.Article) Cemitério clandestino com corpos esquartejados e cão decapitado é encontrado em Santa Catarina]]

[[(standard.Article) Jornalista preso após transmitir exumação de cadáver ao vivo é solto depois de 12 horas]]

Investigação

O Hospital Martín Icaza de Babahoyo é de propriedade estatal, e o Ministério da Saúde anunciou em 11 de junho que um Comitê de Auditoria Médica havia sido convocado para avaliar as responsabilidades no caso de Montoya.

O ministério afirmou que formou um Comitê Técnico Nacional em coordenação com a Agência de Garantia de Qualidade dos Serviços de Saúde, com o objetivo de conduzir uma auditoria médica para apurar as responsabilidades em relação à suposta confirmação da morte.

A CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde do Equador na noite de sexta-feira (16) para obter informações sobre o encerramento da investigação e eventuais conclusões sobre o caso Montoya, e aguarda uma resposta.

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade