Notícias

Mês do “diabo”? Astróloga do TikTok prevê junho difícil

Junho é considerado o mês mais festivo de todo o ano por conta das celebrações juninas e das festividades dos santos do catolicismo, onde as pessoas aproveitam para se confraternizar e se divertir com amigos e toda a família. No entanto, parece que esse mês não será só feito da alegria das danças juninas e da doçura do mingau de milho com canela. 
De acordo com com Astróloga cubana Mhomi Vidente, junho não será um mês tão fácil. Ela é uma vidente muito conhecida nas redes sociais, no TikTok tem 5 milhões de seguidores.
Em sua última previsão, Mhomi disse que viu nas cartas a figura diabólica em todos os lugares e afirmou que o período do mês de junho terá uma grander atividade de energias obscuras, ritos satânicos, além de pessoas que buscam prejudicar outras pessoas.
Ainda segundo ela, a próxima terça-feira (06) será o dia mais tenso.  “as energias de todos os demônios soltos e do próprio Lúcifer irão se alinhar”, afirmou a também taróloga em vídeo publicado no canal do YouTube. Por isso, este será o dia mais cabalístico —com uma energia muito difícil no mundo inteiro—, no qual a vidente previu “guerras, golpes, catástrofes, raiva, ações judiciais e mortes”.
Sexo taoísta: veja os princípios da prática sexual oriental
Diante dessa previsão, a vidente aconselhou seus seguidores a acenderem uma vela branca e fazerem orações, além disso ela recomendou jogar água benta na testa com o objetivo de afastar os pensamentos negativos da cabeça. 
Mesmo com esse ponto negativo, Mhomi trouxe uma previsão que vai recuperar as esperanças de todos. Ela disse que este mês também pode ser considerado como um tempo de dinheiro rápido e que poderá  de maneiras fáceis, então é bom aproveitar as oportunidades.
A astróloga também afirmou que este mês haverá a pior tempestade solar da história. e também revelou que a mudança no clima pode danificar satélites e redes sociais de forma diferente. 

Fonte: Diário do Pará 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade