Notícias

Marquinhos afirma estar “qualificando o grupo” do Paysandu

Os dois pontos perdidos dentro do Estádio da Curuzu, por conta do empate em 1 x 1, diante do São José-RS, neste domingo (04), pela sexta rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, deixaram todos de cabeça inchada dentro do Paysandu. O resultado não estava nos planos da equipe bicolor que buscava a vitória para se aproximar dos primeiros colocados na classificação. Paysandu amarga empate contra o São José dentro da CuruzuApós o confronto, o técnico Marquinhos Santos lamentou o resultado e princilamente a falta de tempo para entrosar o time com o método de trabalho. “Deixamos escapar dois pontos que nos colocaria na sétima colocação, dentro do G8. Série C é isso. O time está ajustando, começando a ter uma cara. Precisamos de tempo, não tem mágica para se fazer no futebol. Nós estamos encontrando a equipe, está chegando jogadores a cada semana.  A gente está qualificando o grupo que precisa de um maior tempo de treinamento para melhorar ainda mais o desempenho”. View this post on Instagram A post shared by DOL – Diário Online (@doldiarioonline) Vídeo: empate do Paysandu gera revolta e protesto da torcidaLogo na escalação inicial, Marquinhos Santos causou surpresa em todos por escalar o goleiro Alan na vaga de Gabriel Bernard que estava tendo sequência de partidas, por conta da cirgurgia de Thiago Coelho. Com relação a isso, ele explicou. “O Alan passava por essa condição em que ele já deveria ter tido uma oportunidade de jogar. Observamos que esse jogo era para observá-lo, uma vez que o Thiago (Coelho) ainda se encontra no departamento médico. No gol, não vejo que foi demérito dele. Vejo que ele fez uma partida segura, mesmo há algum tempo sem jogar. Goleiro precisa dessa sequência”, disse.E com relação ao manifesto do torcedor após o término do confronto realizado na Curuzu, Marquinhos Santos afirmou que o torcedor está com total direito de cobrar e que merece ser respeitado. “Quero agradecer ao torcedor que se fez presente, que incentivou. Falei para os atletas, é cobrança. Vestir a camisa pesada do Paysandu, o torcedor vem de um acumulo de cinco anos dentro da Série C e desde o início da temporada tem sido muito sofrimento, acumulando jogos eliminatórios, não chegando na final do Paraense. Então, o torcedor tem o direito dele e nós respeitamos. Torcedor tem que cobrar”, concluiu. View this post on Instagram A post shared by Paysandu Sport Club (@paysandu)

Fonte: Diário do Pará 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade