Notícias

Juiz da Lava Jato é afastado da função por suspeita de ameaça contra filho de desembargador

O juiz Eduardo Appio da 13ª Vara Federal de Curitiba, titular Lava Jato no Paraná, foi afastado do cargo e deixa o comando da operação por decisão do Conselho do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), tomada nesta segunda-feira (22). Ele é investigado por, supostamente, ameaçar João Eduardo Barreto Malucelli, sócio do ex-juiz Sergio Moro e filho do desembargador federal Marcelo Malucelli, que entrou com a representação contra o magistrado. 

De acordo com a representação, João Eduardo Malucelli recebeu uma ligação telefônica de um número bloqueado com “ameaças”. A pessoa que fez a chamada se identificou como servidor da área de saúde da Justiça Federal e se apresentou como Fernando Gonçalves Pinheiro. Não existe, porém, nenhum servidor com esse nome na Justiça Federal da 4ª Região, segundo a decisão. 

O suposto servidor teria mencionado valores a devolver e despesas médicas de João Malucelli, “como se detivesse informações de cunho relevante, capazes de causar algum tipo de intimidação, de constrangimento ou de ameaça”, segundo o relatório do Conselho do TRF-4. Ele também teria questionado se Malucelli estaria “aprontando”.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Deltan Dallagnol foge de notificação da Câmara sobre cassação]]

[[(standard.Article) ‘Enterraram a Lava Jato. Agora querem fazer a mesma coisa com os protagonistas’, afirma ministro]]

[[(standard.Article) Governo Lula publica imagem alusiva ao ‘PowerPoint da Lava Jato’ após cassação de Deltan Dallagnol]]

[[(standard.Article) Marcelo Odebrecht conclui sua pena na Lava Jato após dois anos de trabalho administrativo]]

Para o Conselho do TRF-4, há indícios de que o Appio tenha feito o telefonema. O relatório do órgão aponta “muita semelhança entre a voz do interlocutor da ligação telefônica suspeita e a do juiz federal Eduardo Fernando Appio, tendo então a Presidência do TRF4 e a Corregedoria Regional noticiado esses fatos à Polícia Federal e solicitado realização de perícia para comparação do interlocutor da ligação suspeita com aquele magistrado federal”.

Com mais de 20 anos de trabalho na Justiça Federal, Appio está à frente da 13ª Vara Federal de Curitiba, berço da Operação Lava Jato, desde o início de fevereiro e é crítico da atuação do ex-juiz Sergio Moro no âmbito da Lava Jato. O juiz terá 15 dias para apresentar defesa.

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade