Notícias

Jovem morre após ser agredida e deixada na rua por seguranças; familiares alegam problemas mentais

Uma jovem identificada como Daiane de Jesus Oliveira, de 28 anos, morreu por ter sido atropelada e arrastada por cerca de 70 metros por um carro, após ter sido agredida e deixada no meio da rua por seguranças de uma boate, localizada em Cascavel, no Paraná.

Segundo a Polícia Militar (PM-PR), a jovem estava alcoolizada e tentava entrar seminua na boate Moonlight. Ao se depararem com a situação, os seguranças do local a agrediram, jogando a vítima no meio da rua, que logo foi surpreendida por um carro que passava no momento.

Familiares alegam problemas psicológicos

A família de Daiane afirma que ela morava com a mãe, em Tupãssi, e aguardava a aprovação do benefício por invalidez, por meio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O velório está marcado para as 14h de hoje (29), no cemitério municipal de onde morava.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Idosa morre após ser atropelada e arrastada por ônibus; vídeo]]

[[(standard.Article) Mulher acorda motorista que dormia na rua e é morta atropelada por ele]]

A briga

Imagens de uma câmera de monitoramento mostram o momento em que dois homens começam a agredir Daiane, em frente à boate Moonlight, com, pelo menos, dois chutes e um empurrão, deixando-a jogada no meio da rua. A confusão ocorreu por volta das 4h30.

Após as agressões, um grupo de pessoas observou Daiane jogada no chão quando um carro se aproximou em alta velocidade. Os jovens tentam alertar o motorista, mas o carro passa por cima da vítima e o motorista foge sem prestar socorro.

O que diz a polícia

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Paraná, que afirmou que o motorista está foragido e pode responder por homicídio.

“Se ficar concluído que o condutor poderia evitar o resultado, no caso a morte dela, se comprovarmos que houve negligência, ele pode ser responder por homicídio na condução de veículo automotor.”

Quanto aos seguranças, o delegado disse que eles “criaram risco à vítima no momento em que deixam ela ao solo”.

“A polícia quer entender os fatos antecedentes. Só a prova pericial é capaz de estimar a provável velocidade do veículo. Só com as imagens não é possível.”

Posicionamento da Moonlight

A boate, que foi cenário do ocorrido, se pronunciou, por meio de nota, informando que está constribuindo com as investigações e que os seguranças foram afastados, aguardando os desdobramentos das investigações.

“a segurança e o bem-estar de nossos clientes são de extrema importância para nós, e repudiamos veementemente qualquer conduta que vá contra esses princípios”.

(Carolina Mota, estagiária sob supervisão do editor web em Oliberal.com, Felipe Saraiva)

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade