Notícias

Duas mulheres são presas por suspeita de venda de recém-nascido por R$ 7 mil, em Pernambuco

Duas mulheres foram presas em flagrante, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (PE). A suspeita é que uma delas tenha vendido o filho recém-nascido, no valor de R$ 7 mil, logo após o nascimento, enquanto a outra fez a “compra”. Uma mulher tem 27 anos e a outra, 45.

Ainda segundo o Diário de Pernambuco, que divulgou a notícia na terça-feira (6), vizinhos denunciaram a situação para o Conselho Tutelar de Prazeres da Regional 5. Eles disseram que a mãe da criança chegou da maternidade em um carro de luxo, mas a criança não apareceu.

Os conselheiros tutelares, então, foram até a casa da mulher, mas a madrasta disse que ela ainda estaria no Hospital Memorial Guararapes. Ao chegarem no hospital, foram informados de que o bebê recebeu alta por volta das 8 horas do mesmo dia.

O recém-nascido foi encontrado na casa dessa outra mulher de 45 anos, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. Na casa, foi encontrada uma declaração de nascido vivo da criança, emitida pelo Hospital Memorial Guararapes, mas sem o nome da mãe e do pai.

VEJA TAMBÉM:

[[(standard.Article) Mãe é presa por crime de tortura contra filho de 9 meses]]

[[(standard.Article) Mãe é presa após abandonar bebê de um ano em trilho de trem]]

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) está investigando o caso e informou que fez a autuação em flagrante delito, por meio “da 2ª Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Criança e Adolescente e Atos Infracionais de Jaboatão dos Guararapes – DPCA, por outras ocorrências e ilícitos penais para a averiguação de uma possível venda de um recém-nascido.”

As duas mulheres foram detidas, mas pagaram a fiança e foram liberadas. Elas vão responder em liberdade. Já o bebê foi levado para um acolhimento institucional e vai ser acompanhado pela Vara da Infância e Juventude de Jaboatão e pelo Ministério Público de Pernambuco. Ainda de acordo com a polícia, é crime a pena para esse ato é de um a quatro anos de prisão e multa.

 

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade