Notícias

Com assinatura de MP, fabricantes já começaram a reduzir preços de carros; veja quais e valores

As fabricantes já estão reduzindo os preços no Brasil. Os descontos aplicados vão além do subsídio fiscal do governo federal para que parte dos valores dos veículos seja abatido, conforme previsto pelo vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), anunciado na segunda-feira (05). Isso porque a Medida Provisória (MP) que cria o programa de desconto em carros, ônibus e caminhões foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta terça-feira (06). 

O modelo Kwid Zen, por exemplo, da Renault, está sendo vendido por R$ 58.990, uma redução de R$ 10 mil sobre o antigo preço de tabela, ou seja, a marca está dando R$ 2 mil além do desconto das medidas implementadas pelo governo, que vai de R$ 2 mil a R$ 8 mil. 

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Haddad e Alckmin anunciam descontos de até R$ 8 mil para novo ‘carro popular’]]

[[(standard.Article) Carro popular encareceu mais de 200% em 10 anos no Brasil, aponta levantamento]]

[[(standard.Article) Pacote para carro popular recebe aval de Lula, informa Haddad]]

A Jeep também baixou os preços de duas versões do Renegade. A básica 1.3 turbo ganhou R$ 10 mil de desconto e foi de R$ 125.990 para R$ 115,9 mil. A versão Sport teve queda ainda maior no preço, de R$ 19 mil. Custava R$ 134.990 e agora é vendida por R$ 115.990 após publicação da medida provisória.

Outra marca que não ficou de fora foi a Volkswagen. Quatro modelos tiveram os preços reduzidos: o Polo Track era R$ 82.290 e passou para R$ 74.990; Polo 1.0 MPI: de R$ 86.390 para R$ 78.390; Polo TSI: de R$ 95.990 para R$ 89.990; Polo Comfortline TSI: de R$ 106.290 para R$ 102.500; Polo Highline TSI: de R$ 113.290 para R$ 108.290; Virtus TSI MT: de R$ 104.390 para R$ 98.890.

Virtus TSI AT: de R$ 115.390 para R$ 110.890;
Saveiro CS Robust: de R$ 94.490 para R$ 90.190; 
Saveiro CS Trendline: de R$ 99.380 para R$ 95.080; 
Saveiro CD Robust: de R$ 108.780 para R$ 104.480; 
T-Cross Sense AT: de R$ 116.550 para R$ 107.550.

Como funciona

Os descontos governamentais são dados em cima de um cálculo que avalia a fonte de energia, o consumo energético em MJ/km, o preço público sugerido e a densidade produtiva, que é a quantidade de peças nacionais utilizadas em cada carro.

A iniciativa totaliza R$ 1,5 bilhão de créditos tributários para subsidiar a venda a preços mais baratos e essas vantagens vão acabar quando esse teto for atingido, dentro de aproximadamente quatro meses.

Divisão dos subsídios

Destes, R$ 500 milhões serão destinados a carros de passeio, R$ 700 milhões irão para caminhões e R$ 300 milhões para vans e ônibus. As fabricantes já começaram a anunciar pacotes de incentivo para compra do carro novo, com descontos que podem variar de R$ 2 mil a R$ 8 mil. 

Veículos pesados

Quanto aos veículos pesados, como caminhões e ônibus, o desconto dependerá do tipo de carga e da quantidade de pessoas transportadas. Os créditos para essa categoria vão de R$ 33,6 mil e podem chegar a R$ 99,4 mil.

→ Critérios;
→ Eficiência energética; 
→ Preço; 
→ Índice de nacionalização de componentes. 

Com base nos critérios estabelecidos pelo governo, cada modelo que for nacional, que não seja puramente a gasolina e que custar abaixo de R$ 120 mil acumula pontos para que, assim, fique enquadrado em determinados intervalos de desconto – que vão de R$ 2 mil até R$ 8 mil.

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade