Notícias

Coletivo Vela Navega lança EP “Eus” nesta quinta-feira (1)

O Coletivo Vela Navega lança o EP “Eus” nesta quinta-feira (1º), nas principais plataformas digitais como Deezer, Spotify, YouTube e Apple Music. O coletivo é um projeto de arte-educação que envolve criação artísticas de poesia e ritmos, e educação musical em Ananindeua. Os integrantes levam carimbó e forró pé de serra para as feiras e praças do município. O show de lançamento será no final do mês dia 25 de junho, no Bar Coisas de Negro, no distrito de Icoaraci, a partir das 19h. O Coletivo Vela Navega trabalha com musicalidade, transformação, educação, pesquisa e produção cultural.

“Acredito que os artistas, compositores e criadores de arte, na maioria das vezes, preparam suas obras, compõe suas poesias, letras, arranjos musicais e a cada etapa do processo de produção, a obra ganha diversos nomes, até que, enfim, o trabalho pronto é ‘batizado’. O ‘Eus’ é uma referência às manifestações da personalidade, caráter ou de comportamento do ser humano no decorrer da existência. Quantos de nós podemos ou poderíamos manifestar em uma vida?”, indaga o idealizador Victor Nunes.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Lázaro Ramos vai apresentar o Prêmio da Música Brasileira; Alcione será a homenageada da noite]]

[[(standard.Article) Música inédita de Raul Seixas é lançada em fonograma com interpretação de André Prando]]

[[(standard.Article) Jhemily Costa lança clipe de arrocha da música autoral ‘Duvideodó’]]

O Coletivo Vela Navega surgiu com a colaboração de várias pessoas. As primeiras faixas do EP nasceram após o coletivo ser premiado em novembro de 2020 pela Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), da Prefeitura de Belém, por meio do Edital de inserção de produtos culturais, patrimoniais e artístico da capital. A músicas foram compostas entre 2017 e 2019.

O EP conta com quatro músicas. A primeira faixa é “Plural de Nó”, um lundum misturado com blues. O segundo é “Eu vim, tu foste”, um carimbo com uma pesquisa de violão de sete cordas com metais no final da canção. A terceira é “Oxi my childer” desginado como um ‘forró caboclo’ e a quarta música é “Ancoragem ao Mirante” uma toada existencial de bumba meu boi.

O “Eus” é categorizado pelo autor como uma suíte amazônica. A suíte é uma forma de música instrumental desenvolvida que tem características mais livres e consiste em uma sequência de movimentos de dança, todos na mesma tonalidade, mas variando no andamento. As quatro músicas presentes no EP são encadeadas uma na outra de maneira ininterrupta formando uma peça só. A obra é diferente de pout-pourri que é tem músicas diferentes encadeadas uma na outra, porém cada canção é diferente da outra.

[[(standard.Article) Prêmio Cultural Ruy Barata concede estatuetas para 78 personalidades paraenses ]]

[[(standard.Article) Cantora paraense lança ‘mash up’ de Miley Cyrus e Gloria Gaynor; vídeo]]

“Outra característica do período clássico da suíte é que era dançante. Tinham uma cadencia rítmica ligada à dança. Eram ritmos voltados para a dança. Todas as quatro peças musicais do ‘Eus’ são ritmos amazônicos dançantes”, explica Victor.

O EP idealizado por Victor Nunes conta com o Mestre Arythanan, Andrezza Mota (percussão), Talles do Carmo (percussão), Maurício Brito (trombone), e Diegho Costa (trompete). A capa do disco tem arte de Igor Diniz. Familiares e amigos também integram o Coletivo e contribuíram com o EP como as filhas de Victor, Renée Louise, de 15 anos, e Elena Charlotte, de nove anos, e a esposa Edlaine Nunes, que estão nos vocais. Além de muitas outras pessoas parceiras nas composições ou produções.

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade