Notícias

Câmara dos Deputados aprova o texto-base do marco fiscal

A Câmara dos Deputados aprovou, por 372 votos a 108, na noite desta terça-feira (23), o texto-base do novo marco fiscal. A previsão era de que a matéria fosse votada na quarta-feira (24), após a Casa aprovar urgência da matéria na quarta-feira da semana passada.

O texto original sofreu alterações feitas pelo relator, o deputado Cláudio Cajado (PP-BA). A proibição de novas despesas obrigatórias é uma das mudanças. Em contrapartida, o salário mínimo e o Bolsa Família ficam fora da limitação. 

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Governo federal bloqueia R$ 1,7 bi para cumprir teto de gastos]]

[[(standard.Article) Projeto de lei do novo marco fiscal recebe 40 emendas do Congresso]]

[[(standard.Article) Veja como cada deputado do Pará votou no pedido de urgência do projeto do arcabouço fiscal]]

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, apresentou a proposta original em abril, com objetivo de substituir o teto de gastos vigente e buscar estabelecer uma nova legislação para controlar o crescimento das despesas públicas.

Eram necessários ao menos 257 votos a favor para que o PL fosse aprovado no plenário da Câmara. Após isso, o texto agora segue para apreciação do Senado. Em abril, o presidente da Casa Alta, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), já havia indicado que também pretende dar celeridade aos trâmites.

Reunião

“Fiquei muito impressionado com o consenso em torno das duas pautas. Temos que votar o marco fiscal e a reforma tributária. Não houve uma só voz dissonante a respeito da urgência dessas duas matérias para impulsionar o desenvolvimento econômico e social do Brasil”, disse ele nesta terça-feira após reunião com parlamentares e representantes do setor produtivo.

[[(standard.Article) Criminalização por descumprimento de metas fica de fora do marco fiscal]]

[[(standard.Article) Veja o relatório do projeto de lei do marco fiscal]]

Entre os presentes no encontro estavam os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, assim como o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Fonte: OLiberal.com 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade