Notícias

A ordem do Paysandu é mostrar o poder de fogo contra o Goiás

Para o jogo de hoje, o Paysandu terá somente parte do elenco, tendo que utilizar muitos garotos da base, que devem ficar no banco de reservas como opções. Mas, o técnico Marquinhos Santos coloca em campo a formação ofensiva mais forte que tem à disposição. Mário Sérgio volta ao time para tentar manter a média de gols.Paysandu precisa fazer jogo perfeito para conquistar o TetraAtacante do Paysandu projeta Copa Verde: “Não é impossível”Até aqui foram 15 em 2023, com a esperança da Fiel que ele seja um diferencial. “Queria ter enfrentado o Volta Redonda, mas agora estou de volta no jogo mais importante do ano até aqui e com muita vontade de ajudar”, observou o Super Mário Sérgio, que teve um gol invalidado no jogo de volta e que faz muita falta agora. “Procuro sempre os espaços para marcar. Infelizmente, no Mangueirão o meu gol foi anulado. Acho que poderia ter sido validado, pois o último toque foi do zagueiro”. Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Paysandu Sport Club (@paysandu) Os 15 gols na temporada dão a entender que ele deve bater os 24 marcados em 2022, o ano de maior artilharia de sua carreira. Para o camisa nove, os objetivos pessoais têm ressonâncias positivas no coletivo. “Venho trabalhando para fazer gols sempre e ajudar o Paysandu, consequentemente atingindo as metas pessoais. Teremos muitos jogos pela frente para tentar bater a meta do ano passado”.O ataque bicolor terá Dalberto e Bruno Alves, além de Mário Sérgio. Dalberto retornou há pouco aos gramados após oito meses afastados. A volta foi justamente no primeiro jogo decisivo da Copa Verde e, desde então, tem sido figura assídua na equipe de cima. Ele sabe que ainda está em um processo de recuperação física, mas garante que ele e todos que estiverem em campo logo mais estarão no “modo superação”. Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Paysandu Sport Club (@paysandu) “Fisicamente ainda não estou no ideal. Não sei se dá para aguentar 90 minutos num bom ritmo. Estou trabalhando em busca desse objetivo, mas ainda falta um pouco, sim”, afirmou. “É difícil, mas não impossível. É uma situação nova para o Paysandu na Copa Verde e enquanto houver chances vamos continuar lutando. Final não se joga, final se dá o máximo”, afirmou.Quem vestir a camisa do Paysandu sabe da responsabilidade que tem. Aqui todos confiam um no outro. Quem estiver em campo tem uma expectativa de fazer algo diferente. É uma equipe totalmente diferente, com outra missão. Quem vem para cá sabe da responsabilidade que tem”, completou o atacante

Fonte: Diário do Pará 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade