Notícias

3h da manhã: saiba como evitar acordar nesta hora tão temida

Há muitos mistérios e temores sobre um período da madrugada que é muito associado a fenômenos paranormais: às 3h da manhã. Seja em filmes de terror, ou histórias macabras contadas por amigos, o horário sempre desperta dúvidas sobre o seu significado, principalmente na vida daqueles que costumam acordar no momento em que o relógio marca 3h.
O escritor referência em desenvolvimento pessoal e espiritualidade, Bruno J. Gimenes, explicou ao portal Luz da Serra quais são os significados que envolvem esta hora tão misteriosa.
Para ele, o motivo de acordar às 3h da manhã está associado ao psiquismo, um campo de energia invisível, formado por pensamentos, sentimentos e sensações. 
Quando alguém está com o psiquismo menos positivo, isso pode significar que a pessoa não está energizada por completo, não estando preparada para começar um novo dia.
Diante disso, ocorre um movimento energético ou espiritual que faz com que a pessoa acorde durante a madrugada, seja às 3 horas da manhã ou em horários próximos.
“Quando você acorda de madrugada significa que o plano espiritual está fazendo um convite para você, com o objetivo de eliminar o psiquismo pesado que ocorreu durante o dia anterior”, explicou Bruno J. Gimenes.
Mas há forma de se evitar acordar nesta hora? De acordo com o escritor, o recomendado para não acordar às 3h é rezar por gratidão. Esta seria uma forma de elevar a espiritualidade e o campo de energia do psiquismo.
“Essa reza pode iniciar com pensamentos positivos e benevolentes acerca do mundo, da natureza, das cidades e pessoas a sua volta”, indicou Bruno J. Gimenes.
Segundo Bruno J. Gimenes, com esta medida é possível mudar o campo de energia, tornado ele mais positivo e alinhando a organização do psiquismo. Assim, essas vibrações energéticas vão evitar que o indivíduo acorde às 3h da manhã.VEJA TAMBÉM:
Paralisia do sono e espíritos? Descubra a relação entre eles

Fonte: Diário do Pará 

Deixe aqui seu comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Acessibilidade